jusbrasil.com.br
20 de Novembro de 2018

Alguém viu a dignidade da advocacia por aí?

Acontecimentos recorrentes associam a classe a situações embaraçosas. A vergonha vem de dentro.

Advogácidos, Advogado
Publicado por Advogácidos
há 3 anos

*Este artigo, diferente dos outros, não tem tanta acidez. Diante dos últimos acontecimentos achamos por bem escrever um texto mais sério. Não se preocupem, outros textos ácidos virão.


Algum viu a dignidade da advocacia por a

Por Pobre Ricardo

Parece que a advocacia conseguiu a façanha de se tornar uma das profissões mais avacalhadas dos últimos tempos. De profissão nobre e digna, passou a se misturar com os porcos e, na lama, está sempre associada a eventos cada vez mais embaraçosos.

Enquanto alguns dizem que a culpa é da proliferação de instituições de ensino e de empresas que querem "usar a advocacia", mas na verdade estão tornando a atividade do advogado cada vez mais prática, viável e menos refém de grandes grupos e escritórios, as notícias dizem que a vergonha vem de dentro da classe mesmo.

Algum viu a dignidade da advocacia por a

Quem disse que a advocacia não é mercantil?

Ontem, mostraram-me uma proposta de um escritório oferecendo valores irrisórios para realização de audiências (valores inferiores a 20 reais, por audiência). Um dos donos do escritório pediu perdão e informou que a proposta não foi referendada pelos sócios.

A prática não é incomum, muitos escritórios remuneram os advogados com R$ 1.400,00 para trabalhar oito horas por dia, fazendo múltiplas tarefas. Parece que a mais-valia chegou na advocacia, não?.

Escritórios de advocacia ligados à escândalos...

Esta semana, foi noticiado o caso do Vereador Marquito (São Paulo), que repassava mais de 50% dos salários de funcionários do seu gabinete para um escritório de advocacia. Ano passado, outro escritório estava ligado a diversas fraudes trabalhistas. Será que a situação está tão ruim que é preciso meios ilícitos e imorais para se lucrar?

Fraude nas eleições da OAB?

Para completar o quadro depreciativo, recentemente, uma suposta fraude nas eleições OAB-BA foi divulgada na imprensa. Uma advogada, integrante da chapa, teria assinado, indevidamente, uma ficha que autorizava a sua candidatura. A ficha assegurava que a advogada Maíra Santana Vida exercia a advocacia há mais de cinco anos, como determina as regras da OAB, enquanto apenas tinha quatro anos inscrita.

Símbolo do desespero, no momento de inscrever chapas para as eleições da Ordem dos Advogados sem a devida estruturação e nem sequer uma aproximação de pessoas com propósitos semelhantes. "Ei vem ca, quer participar da minha chapa?". E isso aconteceu e acontecerá - se ninguém se atentar - em todas as chapas.

Enquanto isso, os "mal intencionados" são os outros, que, segundo as más línguas, só pensam em si, "querem desvalorizar uma profissão tão nobre como a advocacia".

No fundo, não muda muito do cenário geral: não há um defeito nas instituições, mas sim no caráter de quem participa delas.

O seu caráter chegou a esse nível? Esperamos que não. Acho que podemos fazer a advocacia melhor, certo? O que você acha que pode mudar? Qual sua opinião? Por que chegamos ao fundo do poço? Comente.

Siga nosso perfil no Facebook e Instagram: @advogacidos.

Algum viu a dignidade da advocacia por a

9 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

A falta de conduta ética por parte dos advogados infelizmente segue a sorte das mais diversas profissões. Lamentavelmente esses fatos se repetem. Fazem parte da nossa rotina de tal modo que muitas vezes passam despercebidos. Esse artigo é de grande valia para estimular a reflexão sobre o tema, de modo a tirar a classe dessa inércia ética. Parabéns pelo texto! continuar lendo

Realmente, o futuro de nossa profissão é preocupante. Me indigno com os baixos valores propostos para a realização das diligências, mas fico mais preocupado porque sei que parte da minha classe aceita tais valores... continuar lendo

É verdade.. devemos ter orgulho de nossa profissão. Recusei uma proposta de viajar mais de mil quilômetros para ir a uma audiência simplesmente por que cobrei o justo.E o risco na estrada ? Ainda teria que dormir na cidade, e o "grande" escritório do Recife queria reduzir a planilha de custos que fiz. Me poupe! estamos em crise mas, isso é um desrespeito com a dignidade da pessoa humana, ou melhor com o advogado! Devemos ser éticos e devemos ser valorizados pelo nosso trabalho, sem em nada deixar a desejar. continuar lendo

Culpo a OAB, que só se lembra dos Advogados em dois momentos: Quando da cobrança da anuidade e quando das eleições da casta que a "administra". continuar lendo